[ editar artigo]

À busca pelo aipim perfeito em evento inédito

À busca pelo aipim perfeito em evento inédito

Com novo chef de cozinha, Estofaria Bar aprimora receitas com aipim e lança evento com a raiz como protagonista

                            Escondidinho apresenta duas opções de recheios                                                                           Créditos: Rafael Bordignon

A versatilidade do aipim, raiz indígena mais popular na culinária brasileira, possibilita diferentes tipos de preparos e a criação de receitas combinadas. Pensando nisso, o Estofaria Bar criou um cardápio inédito e lança o Festival Estofaria do Aipim, que começa amanhã (24) e vai até sábado (2).

O evento, dedicado às receitas exclusivas aipim do chef Fábio Strapazzon, servirá pratos pelo preço fixo de R$ 15 cada. O cardápio conta com oito pratos.

Muitos pesquisadores acreditam que o aipim ou mandioca teve sua origem nas tribos Tupis, mas essa pode não ser a versão mais correta. Como a palavra Mani é de origem Aruak (povos originários do alto amazonas, litoral equatoriano e planícies venezuelanas), e esses eram exímios agricultores, principalmente no cultivo da mandioca, é possível presumir que os Tupis tenham aprendido com eles como cultivar essa planta.
Por sua provável origem, o aipim caracteriza-se por ser um produto brasileiro e tem relevante importância na cultura e alimentação brasileira. Ela é produzida em 1,7 milhão de hectares em todo Brasil e juntamente com milho, arroz e cana de açúcar constituem como principais fontes de alimento e cerca de um bilhão de pessoas em todo mundo utilizam-na como fonte alimentar.

Receitas como discos de aipim recheados com muçarela que servem de base para quatro tipos de coberturas: pernil suíno, linguiça Blumenau, carne seca e Marguerita (tomates e manjericão), todos gratinados, são quatro dos pratos do Festival.
                                                   Créditos: Rafael Bordignon

Outra receita do Festival é o Escondidinho de Aipim, preparado com uma massa leve de purê de mandioca e com duas opções de recheio: estrogonofe de carne ou carne seca com requeijão. Completam o cardápio do evento a porção de aipim frito com bacon recebe, acompanhado pela já tradicional maionese caseira do Estofaria, com cheiro verde, e a Vaca Atolada, ensopado de mandioca com costela bovina desfiada.

À busca pelo prato com aipim perfeito foi motivo para o proprietário do Estofaria Bar, o chef Caio Canabrava, criar o festival inédito em Curitiba. “Foram inúmeras vezes que eu e minha noiva Priscila procuramos bares e restaurantes para provar porções e pratos com mandioca, que ela ama, mas nunca ficamos 100% satisfeitos. O aipim não pode ser duro, nem seco, nem ficar branco no meio. Foi esse o desafio que levei para a cozinha do bar”, conta.

Foi um mês de testes e provas de diferentes receitas, tudo comandado pelo chef Fábio Strapazzon, que assumiu a cozinha do Estofaria Bar no início de abril. “Escolhemos as melhores receitas, fizemos alguns ajustes e montamos o cardápio para o Festival Estofaria do Aipim. Durante os nove dias do evento, o cliente poderá indicar qual quitute gostou mais. Oe melhores votados serão incluídos no cardápio fixo do bar”, explica Canabrava.

Novo chef

O chef Fábio Strapazzon atua na área da gastronomia há mais de 18 anos. Começou como “taxa” (avulso) em algumas cozinhas da capital e nos últimos 12 anos comandou a cantina e o refeitório do Colégio Positivo – Ângelo Sampaio. Está concluindo o curso de Gastronomia na Universidade Positivo, mas cozinha desde os 10 anos de idade, quando teve que ir para o fogão de casa preparar almoço para os irmãos menores durante um período de doença da mãe; fez frango ensopado. “Desde pequeno, observava a mãe na cozinha. Cozinhar é algo que sempre me atraiu. Quando precisei fazer algo sozinho, não tive dificuldades”, lembra.

Antes de assumir a gastronomia como profissão, Strapazzon auxiliou o pai em serviços de pintura e depois atuou como auxiliar em uma serigrafia. Só decidiu encarar uma cozinha profissionalmente após um período turbulento e ter que recomeçar a vida, de volta à casa dos pais. Quando passou de “taxa” para contratado, buscou capacitação em diversos cursos no Senac, até chegar à graduação.

Strapazzon recusou uma oferta de gerente de cozinha em uma rede local de lanchonetes para assumir a cozinha do Estofaria. “Como gerente, eu ficaria longe das panelas. E cozinhar é o que eu mais gosto de fazer”, confessa o novo chef do bar. No comando do Estofaria desde 2013, o chef Caio Canabrava aprendeu com o tio Délio Canabrava que quando se conhece alguém que cozinha mais que você é hora de abrir espaço na sua cozinha. Foi o que fez. “Precisava de alguém não apenas que cozinhasse bem, mas que me ajudasse na organização da cozinha, na atualização do cardápio e na formação da equipe. Encontrei isso tudo no Fábio e tenho certeza que fiz uma boa escolha. Os clientes vão gostar”, aposta o empresário.

                                Os chefs Caio Canabrava e Fábio Strapazzon
                                             Créditos: Rafael Bordignon

Para quem quiser conferir essas e outras delícias, o Estofaria Bar abre suas portas de segunda a sábado, às 18h e fica ali no Alto da Glória, na Rua Itupava, 1465.

 

Canal Curitiba É
Marina de Capistrano
Marina de Capistrano Seguir

Jornalista, dog lover

Ler matéria completa
Indicados para você